Há um quarto de século, ou seja, há exatos 25 anos, portanto, em 19 de maio de 1991, o Grêmio escreveria uma das páginas mais dramática de sua história.

Após fazer um ótimo Campeonato Brasileiro em 1990 e terminar na terceira colocação, o tricolor era apontado como favorito ao título do ano seguinte.
No entanto, o que se viu foi bem diferente, o Grêmio terminou na 19ª posição, disputou a segundona em 1992 e só subiu por conta do tapetão.
De 20 times daquele Campeonato Brasileiro, o Grêmio ficou na 19° colocação.Na última rodada o tricolor escaparia com um empate em Caio Martins, mas a derrota por 3×1, rebaixou a equipe.
No Botafogo havia três ex-gremistas que ajudaram a rebaixar o “ex-clube”: Paulo Roberto, Hugo de León e o técnico Espinosa, todos eles “campeões Toyota”.
Para a Segunda Divisão de 1992, houve umam mudança no regulamento. Subiram 12 times ao invés de apenas dois como em 1991. É o recorde de times promovidos em um mesmo ano, até hoje.

FICHA TÉCNICA
Data: 19 de maio de 1991
Local: estádio Caio Martins, Niterói, RJ
Público: 880 torcedores
BOTAFOGO-RJ (3):
Ricardo Cruz; Paulo Roberto, André, De León, Jéfferson; Carlos Alberto Souza, Pingo, Valdeir (Bujica), Vivinho (Renato Martins), Juninho e Pichetti. Técnico: Valdyr Espinosa
GRÊMIO-RS(1):
Gomes; Chiquinho, João Marcelo DEUS, Vílson e Hélcio; Jandir, Donizete (Darci) e Caio; Maurício, Nando e João Antônio (Nílson). Treinador: Dino Sani

 

 

Rogério Bohlke

 

 

OFERECIMENTO:

-Padaria e Confeitaria Andradas

-Conservas Oderich

e

-Instituto Dal Pizzolgremio1_repr